logotipo micro logotipo m?dio logotipo max Dúvidas? Contacte-nos: logos@logoslogotipos.com.pt/912 138 283

Dinâmica, Ênfase e Contraste – Parte II

by João Alexandre on October 31, 2011

in Teoria geral

Dinâmica, Ênfase e Contraste – Parte II


Veja aqui Dinâmica, Ênfase e Contraste – Parte I

O valor sugere substância visual e massa, o que pode variar entre forte ou negrito e suave. É muitas vezes, utilizado em conjunto com o tamanho, mas funciona eficazmente quando utilizado ao longo de elementos de tamanho uniforme. O contraste de valor isolado entre palavras ou linhas individuais pode ser eficaz em grandes quantidades de texto.

As alterações de valor entre elementos ou blocos de texto contínuos irão provocar diferentes planos espaciais e podem influenciar a ordem de visualização ou leitura. Níveis de densidade e abertura do texto e o valor tonal das imagens podem ser utilizados para aumentar ou diminuir graus de ênfase.

A utilização de cor não só destaca, mas acrescenta também profundidade a todos os aspectos de ênfase através de associação, disposição, temperatura e emoção. Uma escolha de cor apropriada pode ser baseada em qualquer uma destas áreas ou numa combinação delas. A escolha aleatória ou preferência pessoal na utilização da cor pode dar um destaque errado ou afastar-se do conteúdo ou mensagem. A interacção e/ou o contraste entre cores individuais juntamente com o grau de saturação (intensidade) e luminosidade (tom) irá modificar significativamente o grau e o volume de ênfase. A cor tipográfica criada pela alteração de valor de um corpo de texto para outro também pode ser utilizada como forma subtil de enfatizar ou contrastar.

A disposição, tal como a cor, interage com todos os aspectos da ênfase. É tão inerente à comunicação visual que o seu potencial é frequentemente subvalorizado. A disposição está ligada à área e concentra-se com a localização estratégica dos elementos. Pode, subtil ou dinamicamente, atrair a atenção para elementos dentro da área global de design. Por exemplo, o número de página isolado no fundo ou no topo da página não se destaca, mas é instantaneamente descoberto pelo leitor através da sua localização singular. Da mesma forma, uma indentação (a localização ou disposição da primeira palavra em sequências de parágrafos), cria, discretamente, o ritmo do leitor.

É surpreendente a forma como a utilização pensada e eficazmente da disposição pode funcionar sem recursos a outros métodos de ênfase. Porém, a localização pouco considerada dos elementos numa página pode originar uma dinâmica confusa que pode atrapalhar o leitor.

Posts relacionados:

  1. Dinâmica, Ênfase e Contraste – Parte I
  2. Ponto linha e área – Parte I

Leave a Comment

1 trackback

Previous post:

Next post:

(additional scripts)